sábado, 23 de novembro de 2013

Capitulo 04 – He’s a Bum, Bum, Bum, Bum!

Los Angeles – Estados Unidos;
Ás dez e cinquenta e cinco da manhã;
Prédio do F.B.I.
Demetria On

Eu estava muito impaciente, estava na minha sala esperando dar onze horas para eu ir na sala do “Adam”. E sim, eu vou continuar falando o nome dele com aspas até eu tirar minha duvida. Fechei meu notebook e me levantei, fui até o espelho e abrir mais dois botões da minha blusa de seda azul e arrumei o meu cabelo. 

Passei um batom vermelho em um tom aberto, pois o que eu estava já estava se apagando. Olhei para o meu relogio no meu pulso e já eram onze horas. Peguei uns papeis de uns casos que eu estava investigando como desculpa para ir falar com ele e sai da sala. Caminhei até a sala dele e bati na porta. Ouvi um “entre” e abri a porta.

- Oi... – Disse baixinho, ele estava ao telefone. 

Procurei sua mão esquerda, mas estava em baixo da mesa. Fui até poltrona que ficava de frente para ele na mesa e esperei.

- Sim Demetria? – Ele perguntou desligando o telefone e me olhando com aqueles grandes olhos castanhos.
- Eu... Vim entregar esses casos que eu estava estudando, ver se você aprova eu colocar um grupo em pro desses casos. – Entreguei os papeis e ele pegou com a mão direita, Ele examinou os papeis COM UMA SÓ MÃO e eu mordi os lábios com raiva e me levantei.  Dei a volta na mesa e fiquei do seu lado. Coloquei uma mão apoiada no seu ombro e me curvei para frente deixando o meu decote bem perto do seu rosto, ele olhou descaradamente para o decote, mas virou o rosto olhando para os papeis. – Esse é o caso que eu mais tenho trabalho! – Disse e com a outra mão passei algumas paginas até chegar no caso que eu estava falando.
- Tudo bem! – Ele jogou os papeis em cima da mesa de qualquer jeito se levantando, como eu estava me apoiando nele, me desequilibrei mas me segurou pela cintura com a mão que eu queria ver. – Sabe Demetria temos uma politica aqui.... – Ele me soltou e sua mão foi para o meu pescoço o alisando lentamente, fechei os olhos me sentindo arrepiar e me esquecendo totalmente do proposito de esta ali.

Sua mão foi descendo até o meu colo e parou senti ele mexendo na minha blusa e o olhei, ele parecia concentrado. Olhei para baixo ofegante o o vi abotoando os trés botões que estavam abertos na minha blusa.

- O que... – Me lembrei do porque estava ali e rapidamente olhei para baixo sua mão esquerda... estava com todos os os dedos. O olhei surpresa e ele sorriu.
- A politica é de não usar roupas decotadas no trabalho! – Ele terminou de abotoar minha blusa e se afastou se sentando novamente em sua cadeira. Me afastei meio perturbada e fui em direção a porta, mas ele começou. – Ah... Obrigada por me informa sobre os casos, vou dar uma olhada. -  Ele acenou com a mão que eu tanto queria ver, mas tinha todos os dedos.
- Hum, de nada! – Respondi e sai da sala e indo para a minha.

Me joguei no meu pequeno sofá de dois lugares e fiquei olhando para o teto. Como ele pode não querer e ainda abotoar a blusa, tá que eu só queria ver a mão dele, e agora que eu vi e sei que ele não é o Joseph, eu me sinto estranha. Não que eu quisesse o Joseph vivo, longe de mim, mas era estranho. Fechei os olhos me lembrando da cena de agora a pouco e me senti arrepiar novamente, o jeito quente como suas mãos quentes me tocaram... Alguém bateu na porta e eu acordei do meu transe. Me ajeitei me sentando normalmente no sofá e mandei entrar era Miley.
- Entra. – Pedi.
- Oi. – Ela parecia cansada.
- O que você tem? – Perguntei.
- Você sabe quanto tempo eu estou sem beber? – Ela me olhou, o olhar dela estava sinistro, assustador.
- Hum... – Olhei no meu relógio. – Umas duas horas?
- Parece uma eternidade para mim! – Ela se jogou ao meu lado no sofá, ficamos algum tempo sem falar nada, só se ouvia a respiração ofegante dela.
- Não é ele! – Disse. Ela me olhou como quem não esta entendendo e eu conclui. – O Adam, não é o Joseph! Ele tem todos os dedos na mão. – Expliquei.
- Ainda bem né? Imagina se ele tivesse sobrevivido aos tiros que você deu nele? Seria imortal! – Ela brincou e eu sorri. – Como você viu? – Perguntou de repente.
- Eu tive que praticamente jogar os meu peitos na cara dele! – Bufei.
- E... – Pediu.
- E... Nada, ele abotoou os botões abertos da minha blusa e ainda reclamou sobre o decote! – Me virei mostrando a blusa com todos os botões fechados, e comecei a abri-los.
- Bom, agora já sabemos de duas coisas, Ele não é o Joseph, mas ele é gay! – Ela zombou e eu não segurei o riso.
- Mas falando serio agora, dei aqueles casos que nos estávamos investigando para o Adam, e ele falou que iria ver se aprovava nos começarmos a missão. – Avisei.
- Bom, um pouco de ação faz bem a vida! – Ela sorriu se levantando e eu levantei junto. – Eu já vou indo, tentar me distrair de alguma forma e não pensar em bebida! – Ela deu de ombros rindo da própria “desgraça”.
- Vai lá! – Me despedi e ela saiu.

Miley On

Quando eu sai da sala da Demi dei de cara com Nicholas no fim do corredor, bufei e tentei ir pelo outro lado mas ele me segurou pelo braço.

- Ei preciso falar com você! – Ele parecia bravo.
- O que Nicholas? – Perguntei impaciente.
- Por que você disse para a Lucy que nos transamos? – Perguntou sussurrando a ultima parte, bufei irritada, ele tinha que falar isso.
- Não foi eu quem contei foi a Demi! – Expliquei.
- E por que você contou para a Demi achei que esqueceríamos dessa historia? – Ele começou a me arrastar até entrarmos na sala dele.
- Por que ela é minha melhor amiga. Eu conto tudo para ela, assim como a Lucy! – Expliquei me soltando dele e me afastando. – Agora se me der licença... – Ia saindo.
 - O que ela disse? – Perguntou.
- Quem? – Pare de andar me virando.
- Lucy.
- Hum, nada, ela apenas disse que vocês eram melhores amigos! – Expliquei e ele bufou. Caminhei para mais perto dele, não muito.
- Ok, pode ir! – Ele se virou.
- Nem um obrigado? – Ironizei um pouco brava.
- Você quer o que? “Obrigada Miley por espalhar para todo mundo que nos transamos!” – Zombou. – Você que deveria se desculpar por ser tão fofoqueira! – Ele parou de frente para mim, levantei um pouco o rosto para encara-lo.
- Eu não sou fofoqueira mas se fosse é Melhor do que ser um Otário que corre atrás de uma mulher que não gosta dele! – Rebati e vi uma faísca de ódio passar pelos seus olhos.
- Melhor ser otário que corno! – Ele cuspiu as palavras e minha mão foi direto no seu rosto em um tapa estalado.
- Nunca-mais-diga-isso seu imbecil! – Eu o olhei pela ultima vez, ele estava com a mão no lado do rosto que eu bati, estava vermelho, e sai dali.


Corri para a minha sala que ficava ali no mesmo corredor, e me tranquei, deixando em fim as lagrimas caírem pelo meu rosto. Ele não podia ter falado aquilo, não podia. Me sentei ali mesmo no chão, me encostando na porta e deixei tudo sair. 

Olhei para a pequena mesinha com uma garrafa pequena de uísque mas fechei os olhos, não pensando naquilo. Eu não acredito que ele tocou nesse assunto, ele sabe que eu odeio falar sobre isso, sobre o Liam...Eu nunca, nunca mesmo perderia essa aposta, não depois de agora. 


Mais um cap. Demi seduzente para cima do “Adam” hahaha e Tadinha da Miley, mas ela vai superar... E ai acham que ela vai perde a aposta e beijar o Nick na frente de todos ou ela vai ganhar e Lucy vai ter que transar o o primeiro cara que vir na rua hahaha. Beijos até o próximo cap!!!

Atenção, o nome do cap, não é sempre direcionado ao Joe/Adam, pode se para qualquer personagem, só vocês lendo e entendendo o que aconteceu no cap saberão para quem foi o titulo do cap, esse ficou obvio em gente....

Um comentário:

  1. Oi.
    Eu sei que isso é chato, mas me ajuda a divulgar , segui e se puder acompanhar a historia e comentar?
    http://tudoqueeumaisqueroevoce.blogspot.com.br/
    http://iloveyouforevermylove.blogspot.com.br/
    Comecei ontem.

    ResponderExcluir